Newsletter

Cadastre-se e receba todas as novidades

Franquia com o menor dos riscos

Publicado em 15 de Aug de 2017 por Giovanna Henriques |COMENTE

Franqueadores apostam em estratégias para diminuir ricos de operação



Texto Marcelo Casagrande | Adaptação Giovanna Henriques | Foto Shutterstock

franquia

Ninguém entra em uma disputa para perder. No mundo dos negócios não é diferente. O problema é que nem sempre o sucesso é uma consequência, ainda mais em tempos de crise. Até mesmo no franchising, que tem como uma das principais características a segurança de um modelo testado e aprovado, o risco existe. Dados da Associação Brasileira de Franchising mostram que, em 2016, a taxa de mortalidade entre as franquias foi de 5,1%.

A retenção do PIB e do consumo como um todo colaborou para o índice que deixa franqueadoras em alerta. “O papel da franqueadora é minimizar este tipo de risco acompanhando cada passo do franqueado. Ao menor dos problemas, um plano de ação deve ser colocado em prática”, comenta o coach de negócios Edwin Satto. Para o especialista, a falta de transparência por parte de algumas franqueadoras, somada à falta de planejamento por parte de franqueados, pode aumentar ainda mais os riscos. “Os números da marca devem ser claros para auxiliar na tomada de decisão.

Além disso, o franqueado tem que saber que o sucesso da operação depende muito dele”, opina Satto.

MENOS RISCOS

É na base da parceria do ganha-ganha que muitas redes têm conquistado novos franqueados. A franqueadora dá “aquela forcinha”, afinal, não quer ver a rede se dissolver por conta de resultados ruins. O The Voucher, marca que trabalha com cupons de desconto via aplicativo, aposta no royalty reverso para dar mais segurança para o franqueado. “Mesmo com a estrutura disponibilizada ao franqueado durante todo o contrato, ele recebe um valor sobre cada um dos fechamentos”, explica o diretor de marketingda marca, Marcio Amaral.

Segundo a franqueadora, esse retorno é de R$145,00 por anúncio fechado. A estratégia usada até agora com as 24 unidades franqueadas também faz com que o retorno do investimento seja mais rápido do que a previsão média de seis meses.

AUXÍLIO NA PROSPECÇÃO

Sem clientes, o negócio não prospera. E quando o negócio é novo, conquistar a clientela é tarefa difícil. A rede RDCommerce, que desenvolve soluções virtuais para micro e pequenas empresas, percebeu que passaria mais segurança ao franqueado dando um auxílio extra na captação de clientes. O suporte comercial é certeiro. A franqueadora capta prospects de forma on-line. Após o agendamento das reuniões pelo Centro de Prospecção da marca, a informação é repassada ao franqueado, que recebe via e-mail uma notificação sobre o compromisso.

“Além disso, ele pode identificar empresas em sua cidade que possuam perfil para os serviços e nos enviar para que nossos assistentes entrem em contato e agendem reuniões”, detalha o CEO da RDCommerce, David Gonçalves. Com menos de um ano de operação, a rede que conta com nove unidades em funcionamento ainda não sabe o que é ver uma operação encerrar as atividades. “Faz parte da nossa cultura estimular que os franqueados se tornem referência nas cidades onde atuam e, para isso, contamos com uma plataforma de educação continuada com conteúdo semanal sobre produtos e serviços”, acrescenta o executivo.

Atualmente, a rede está presente em quatro estados e a meta é chegar à marca de 30 cidades até o fim de 2017. O modelo de negócio da RD Commerce se baseia em faturamento recorrente. Todo site, loja virtual, aplicativo ou pacote de marketing comercializado pelo franqueado gera uma mensalidade por parte do cliente. Essa mensalidade fica 100% com o franqueado, que, com isso, consegue a médio prazo a estabilidade financeira de sua unidade.

CLIENTE GARANTIDO A rede de franquias de limpeza comercial Limpidus também percebeu que, ao auxiliar o franqueado na captação de clientes, poderia diminuir os riscos de uma unidade. O time de prospecção negocia com empresas que buscam limpeza corporativa. Dessa forma, quando o investidor se torna um franqueado da marca, já conta com clientes garantidos. Dependendo do caso, a unidade já começa com faturamento mínimo de R$9 mil por mês. Depois, basta que o franqueado amplie os trabalhos para que o faturamento seja maior.

O modelo adotado pela rede tem como foco o franqueado que vai atuar como supervisor-gerente. É ele quem vai estar na linha de frente. “Incentivamos a presença do dono à frente dos negócios para garantir melhor comunicação com os clientes, gerando máxima atenção aos detalhes, flexibilidade e agilidade”, e numerao presidente da Limpidus, Fernando Sodré. Para diminuir ainda mais os riscos, a marca defende que o franqueado esteja sempre atento ao que tem de novo no mercado.

A Limpidus conta com uma “Universidade da Limpeza” – um centro de formação de franqueados e colaboradores, que transmite conhecimentos técnicos e comportamentais para que os empreendedores da rede desenvolvam competências e habilidades necessárias para operar o negócio, e assim atingir melhores resultados da unidade. Hoje, a rede conta com 120 unidades ativas e reúne mais de três mil clientes cadastrados entre condomínios, colégios, academias, restaurantes, embaixadas e grandes redes de varejo.

RETORNO GARANTIDO

Além de ensinar a pescar, tem rede que já oferece o peixe logo de cara. É o que fazem, por exemplo, a Van da Limpeza e a Wash Quality. As marcas do Grupo Oportunidade revertem parte do investimento inicial em produtos. Com o trabalho inicial de venda e prestação de serviço, respectivamente, o franqueado consegue faturar mais do que pagou para a franqueadora. A ideia é que, dessa forma, ele compre mais produtos para continuar a operação.

Revista Gestão & Negócios Ed. 101


COMENTE