Newsletter

Cadastre-se e receba todas as novidades

Empreender e Liderar: Mudança de hábitos!

Publicado em 24 de Nov de 2015 por Victoria Ragazzi |COMENTE

Incentivar a mudança por interesse próprio não é a melhor opção. Entenda:



Por: Elias Awad.

Sabe quando me veio a ideia de escrever sobre o tema? No exato momento em que eu assistia à divina comédia musical da Broadway “Mudança de Hábito”, trazida para uma brilhante montagem no Brasil! Alguns tiveram o privilégio no passado, e estou entre eles, de assistir no cinema ao filme protagonizado por Whoopi Goldberg, missão transmitida a Karin Hils, que a cumpriu com perfeição.

Mudança de Hábito... O musical, além de divertido e delicioso, nos deixa várias lições e reflexões. Mudar de hábito não é nada fácil... Isso vale para ações simples ou complexas. Quer um exemplo? Depois de alguns anos dispostos da mesma forma, alguém no prédio em que moro mudou a posição dos dois cestos de lixo que ficavam no meu andar. O de coleta seletiva, de cor verde, sempre esteve à direita, enquanto que o de lixo orgânico, à esquerda. Certo dia, lá vou eu colocar algumas garrafas de plástico no lixo e... eu me vi confuso. Precisei parar, pensar e entender que agora eu precisava voltar-me para a esquerda na hora de jogar o lixo reciclável. Claro, eu poderia simplesmente inverter a posição dos cestos e terminar com aquela “tortura”... Nada disso! Optei por vencer o desconforto inicial e provocar em mim uma mudança de hábito! E isso ocorreu através da adaptação, da repetição e do exercício.

Bem, mas voltando ao musical, ali se percebe uma mudança de hábito extrema: a de desafiar e quebrar paradigmas. Isso se deu na história do musical em relação a um assunto delicado e tradicional: a religião. Mudar um hábito tão extremo, enraizado e complicado requer tempo, comprometimento, coragem, disposição para correr riscos e, às vezes, retroceder... Depende do envolvimento de um grupo de pessoas que estejam dispostas também a enfrentar e a vencer desafios. Exige ainda apoio dos líderes, gestores ou, como no caso da peça, superiores. Esse é, talvez, o mais complicado dos pontos, pois, eles podem incentivar, mas também, por medo, interromper o processo.

Mas aqui vale um alerta! Infelizmente, tem gente que incentiva e estimula a mudança de um ou mais hábitos apenas por interesse próprio, para tirar proveito da situação. Esse é o tipo de mudança que devemos condenar! Aí vai outro exemplo: o fim do “Padrão FIFA”, em função da bandalheira que os dirigentes ligados à entidade aprontaram! Guarde bem esta frase que ouvi certa vez: “A vida é feita de sims”. E quando ouvimos um Não, partimos em busca de torná-lo um Sim! Muitas vezes, você coloca um Sim entre suas metas e precisa dizer vários Nãos, inclusive para você mesmo, justamente para não destruir os seus sonhos.

Bem... mas chega de conversa! É hora de praticar! Então, que tal inverter os cestos de lixo de onde você mora? Comece por essa simples mudança de hábito... Depois dela, há muito trabalho a ser feito. O mundo precisa de inúmeras mudanças de hábitos... O mundo precisa de milhões de pessoas dispostas a mudá-los! E você? Habilita-se a dizer Sim, entrar em campo e ajudar a vencer esse jogo?

Garanta já a sua Gestão & Negócios do mês clicando aqui. 


COMENTE