Aplicativo criado por empreendedora ajuda a definir look das usuárias Início - Reportagens - Gestão e Negócios
Newsletter

Cadastre-se e receba todas as novidades

Aplicativo criado por empreendedora ajuda a definir look das usuárias

Publicado em 16 de Jan de 2018 por Redação |COMENTE

Empreendedora cria aplicativo colaborativo de moda que resolve o problema das usuárias na hora de definir o look



Texto: Juliana Klein | Fotos: Divulgação, Comunicação Conectada | Adaptação Web: Rodrigo Sodré 

As mulheres gastam, em média, 17 minutos por dia para escolher o que vestir. Pelo menos foi o que mostrou um levantamento encomendado pela grife Marks & Spencer. Se considerarmos idades entre 18 e 60 anos, o resultado seria seis meses de suas vidas para decidir que roupa usar antes de sair de casa. E, acredite, a situação incomoda tanto que 15% das entrevistadas registraram alterações de humor por causa disso.

Pensando em resolver exatamente esse tipo de problema, a empresária Patrícia Kawashima resolveu criar o aplicativo colaborativo de moda Your Best Look. Mas a ideia do aplicativo surgiu de uma necessidade pessoal. Em um dado momento da sua vida, ela quis aprender a se vestir melhor e não conhecia nenhuma consultora de moda. Então resolveu fazer um Curso de Consultoria e Imagem e Estilo. “Na época, eu já estudava empreendedorismo, inclusive participei de congressos no Vale do Silício (Califórnia,Estados Unidos) em 2014 e 2016 e dei os primeiros passos no empreendedorismo na área de saúde, já que sou farmacêutica de formação. Até que resolvi empreender também na área de moda e desenvolver o aplicativo”, conta Patrícia, ressaltando que a ideia era que as pessoas pudessem aprender a se vestir melhor.

 

Até então, ela diz que a única opção que as pessoas tinham era colocar o ‘look do dia’ em redes sociais, como Instagram e Facebook, mas os feedbacks recebidos por meio dessas redes são pouco sinceros e agregadores. O Your Best Look permite que o usuário saiba, de fato, se acertou ou errou no look, já que os feedbacks são anônimos. Além disso, saberá exatamente qual peça contribuiu para o resultado final. Ela lançou a versão Android em fevereiro de 2017, e iOS em setembro. Mas iniciaram o planejamento em meados de outubro de 2015.

 

O investimento inicial foi de aproximadamente R$100 mil. “Fizemos investimento também em divulgação e estamos saindo em alguns veículos de comunicação importantes, lançando promoções para engajar usuários e por meio de campanha de marketing digital, divulgando entre nossas redes de contato e redes sociais em geral”, conta a empresária.

Patrícia acrescenta que, de modo geral, para o consumidor, o aplicativo poderá ajudar nas compras: é possível “subir” looks com roupas de uma loja e aguardar o resultado para decidir comprar ou não uma peça de roupa. Ou então, já com as roupas que possui, montar looks e decidir o que vestir para uma determinada ocasião (entrevista de emprego, primeiro jantar na casada sogra, etc.). “É uma forma barata e democrática de trazer a moda para o dia a dia das pessoas. Para as marcas, o Yblook poderá funcionar como uma ‘vitrine viva’: a loja poderá subir looks e conhecer o gosto dos seus clientes, ou seja, que peça mais agradou, que look fez mais sucesso, e assim adaptar as vitrines para vender mais. Além disso,o Yblook poderá vender relatórios com informações detalhadas sobre as preferências dos clientes e direcionar as propagandas para seus clientes potenciais”, finaliza.


COMENTE