Newsletter

Cadastre-se e receba todas as novidades

Eletrodoméstico permite cultivar uma horta orgânica dentro de casa

Publicado em 25 de May de 2017 por Giovanna Henriques |COMENTE

Empreendedores criaram uma estufa de tamanho adaptado para ficar dentro de casa que promete hortaliças frescas duas vezes mais rápido. Entenda



Texto Juliana Klein | Adaptação Giovanna Henriques | Foto Luiz Henrique Scopelli

Com o sonho de trazer a qualidade – toque, cheiro e gosto – dos vegetais e hortaliças cultivados de maneira orgânica no campo para a comodidade e praticidade das residências na cidade, os engenheiros mecânicos Thomas Kollmann, Bernardo Mattioda e George Haeffner desenvolveram um equipamento que cria um ambiente ideal para isso, trata-se do Plantário.

Segundo o diretor da empresa, Bernardo Mattioda, a invenção possui sistemas totalmente automatizados que controlam a iluminação, a irrigaçãoe a ventilação. Isso assegura que as plantas tenham sempre a quantidade correta de luz, água e ar. “Ainda é possível que o equipamento seja instalado em qualquer lugar da residência, e o produto garante a qualidadedas plantas que você colherá”, demonstra. Mattioda diz que o Plantário é capaz ainda de cultivar qualquer tipo de vegetal e hortaliça.

criadores e desenvolvedores do projet

Além disso, as plantas não ficam expostas a excessos de chuva, sol ou a ventos muito fortes e outras intempéries que são naturais de ambientes externos. Isso faz com que a colheita chegue a acontecer na metade do tempo esperado, ou seja, duas vezes mais rápido que ambientes convencionais. No mercado desde 2014, Mattioda conta que durante o desenvolvimento do projeto, ficou evidente que para ter sucesso nessa “missão” o produto teria que atender a três questões fundamentais: produzir vegetais ororgânicos com sabor incomparável; ser conveniente e capaz de adaptar-se à correria do dia a dia; e ter qualidades técnicas (consumo de energia, materiais construtivos, estética) capazes de atender apartamentos e casas e, ao mesmo tempo, agregar design e estilo. O investimento inicial foi de R$500 mil em projeto, engenharia, pesquisa e desenvolvimento de ferramenta. “Hoje já estamos consolidadosno mercado e temos crescido, em média, 500% ao ano desde 2014”, comemora. Mattioda diz que a empresa possui uma área de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) que continuamente está desenvolvendo novas soluções.

Um bom exemplo é o Plantário MINI. O primeiro modelo do Plantário, lançado em 2014, tem capacidade para nove vasos. No ano passado lançamos a versão mini do equipamento, com menores dimensões ec apacidade para quatro vasos. Essa nova versão foi fundamental para atender a uma parcela do mercado que mora em apartamentos menores e não era atendida pelo modelo anterior. Continuaremos evoluindo e focando em agricultura urbana como um todo. Desenvolvendo equipamentos, tecnologias e soluções para que cada vez mais possamos cultivar nossos próprios alimentos e tornar as cidades autossustentáveis”, conclui.

Revista Gestão & Negócios Ed. 99


COMENTE