Newsletter

Cadastre-se e receba todas as novidades

Giuliana Flores, da banca de flores ao reinado do e-commerce

Publicado em 02 de Jun de 2017 por Giovanna Henriques |COMENTE

Há três décadas o empresário Clovis Souza vendia flores em um espaço de apenas 20 metros quadrados. Hoje ele é referência no comércio eletrônico quando o assunto é floricultura



Texto Aline Feltrin | Adaptação Giovanna Henriques | Foto Divulgação

Nos anos 1990, quando Clóvis Souza montou uma pequena banca de flores no bairro de Santo Antônio, em São Caetanodo Sul, região do Grande ABC em São Paulo, ele não imaginava que quase três décadas depois seu negócio – que ocupava apenas 20 metros quadrados na época – se tornaria uma referência nacional. São quatro lojas físicas que vendem flores e artigos para presentes, um forte e-commerce que representa 70% das vendas da empresa e duas marcas, a Cesta Michelli e a Nova Flor – esta última foi criada no início dos anos 2000 para conquistar as classes C e D. Segundo ele, tudo que se tornou é muito surpreendente, pois nunca sonhou em chegar aonde chegou. Quando questionado pela Gestão & Negócios sobre qual foi o segredo para essa trajetória de crescimento vertiginoso, Souza revelou: “O mais importante é se dedicar de corpo e alma ao negócio e ser apaixonado pelo que faz. Sem isso, nenhum empreendimento prospera, mesmo que a ideia seja brilhante”. Esses ingredientes somados ao olhar atento de renovação ajudaram a construir sua história.

Mas a principal razão para criar uma marca forte foi ter saído à frente na utilização do comércio eletrônico ainda na década de 1990 – quando a internet surgiu no Brasil – com vendas de flores e artigos por meio do site. Isso em uma época em que poucos empresários pensavam no assunto. “Eu já fazia catálogos que eram distribuídos para os clientes, eles ligavam e compravam por telefone. Quando a internet surgiu eu tive um insight de fazer um catálogo on-line”, mostra. O que veio depois foi uma consequência natural: ele colocava os catálogos na internet e as pessoas começavam a ligar na loja para fazer os pedidos. “E isso deu muito certo”, avaliou durante a conversa que teve com a nossa reportagem. A empresa entrega cerca de 1,8 mil opções de arranjos para mais de 1.100 cidades do Brasil. Eles não revelam o faturamento, mas fecharam 2016 com alta de 14%, e a expectativa para este ano é um crescimento de 18%.

O empresário temainda planos mais ambiciosos e pretende internacionalizar a empresa. Atualmente já são feitos envios internacionais para diversos países, mas Souza contou que firmou recentemente uma parceria com uma das maiores floriculturas do mundo para acelerar os passos rumo aoutras nações. Confira na entrevista!

 

Clovis Souza

Clovis Souza


Gestão&Negócios: Quais são os diferenciais atuais que levam a empresa a ser líder?
Clóvis Souza: Nossos diferenciais incidemem inovação constante nos produtose também na área de marketing.


G&N: A GF tornou-se um grupoem 2004 quando resolveu lançarmais duas frentes de negóciono e-commerce?
CS: Sempre fomos um grupo. Com a Cesta Michelli já tínhamos uma demanda de cestas e queríamos dar um espaço. A Nova Flor nasceu para atingir o público C e acabou alcançando um público mais jovem também.
 

G&N: O setor de e-commerce tem boasperspectivas para este ano e é um dossegmentos que vão ajudar a movimentara economia. Como o grupo GF estáse preparando para isto?
CS: Estamos nos preparando com investimentosem profissionalização dosfuncionários, da plataforma e buscandonovos serviços de entrega.


G&N: Qual era o perfil do consumidorde e-commerce quando migrou para ainternet?
CS: Na época não havia nem recursos para filtrar o consumidor. Só ao longo dos anos conseguimos ferramentas para saber quais eram os perfis dos consumidores. Além disso, de lá para cá tudo evoluiu no sistema de e-commerceda GF. Desde plataforma, logística até mesmo estilo de gestão. No começo nãotínhamos ideia de como funcionava, mas fomos evoluindo conforme o próprio e-commerce foi evoluindo no Brasil.


G&N: Conte sobre as melhorias logísticas adotadas ao longo dos anos.
CS: Temos novos aplicativos para rastrear as entregas, estabelecendo parceriascom novas formas de entrega, comobike e moto. Também fazemos parcerias com floriculturas locais para entregar com mais agilidade.

G&N: As entregas e-commerce são feitas por veículos próprios ou é um serviço terceirizado? O controle logístico é próprio ou terceirizado?
CS: Temos serviço terceirizado e quatrotransportadoras exclusivas para a GiulianaFlores.

G&N: Como a empresa conseguiu desenvolver um sistema de qualidade para as entregas oriundas de encomendason-line?
CS: As entregas, principalmente para locais mais distantes, exigem estratégias logísticas. Isso porque o processo de transporte de flores envolve mais cuidados do que outras mercadorias e deve ser feito com mais rapidez. Desde que começamos com o comércio on-line, embalagens mais frágeis foram substituídas por pacotes mais resistentes, e o acondicionamento dos produtos também foi alterado para evitar danos às pétalas.


G&N: Você atribui o sucesso do seu negócio principalmente pela sacada do e-commerce?
CS: Sim, no início a ideia era expor o produto pelo site para o cliente ver os componentes, principalmente nas cestas especiais. Depois percebemos que o e-commerce seria a solução dos nossos problemas, pois poderíamos unir agilidade para efetuar a compra de casa aqualquer hora do dia.

G&N: Há planos de internacionalizar a marca?
CS: Sim, já iniciamos esse processo como lançamento das entregas internacionais. Oferecemos envio internacional de pedidos para os principais países dos continentes americano, europeu, asiático e da Oceania. Os destinos disponíveis incluem Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Colômbia, Peru, Estados Unidos, México, Portugal, Venezuela, Canadá, Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, França, Itália, Suécia, Suíça, Rússia, Japão, Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido.


G&N: Como essa estratégia está sendo montada?
CS: Nós garantimos a qualidade e identidade dos arranjos e outros itens pela parceira que firmamos com uma das maiores redes de floriculturas do mundo. Funcionará da mesma forma que no Brasil: ao receber um pedido, ele é enviado para o estabelecimento mais próximo ao endereço de entrega no país em questão, que transmite uma confirmação assim que o produto chega ao destinatário. Além disso, outro diferencial é o frete gratuito.


G&N: Quando começou, muitos diziam que o seu negócio no e-commerce não ia dar certo. Como deu a volta porcima?
CS: Eu já fazia catálogos que eram distribuídos para os clientes, eles ligavam e compravam por telefone. Quando ainternet surgiu, eu tive o insight de fazer um catálogo on-line. O que veio depois foi uma consequência natural. Eu colocava os catálogos na internet e as pessoas começavam a ligar na loja para fazer os pedidos, e isso deu muito certo. Tudo o que nos tornamos é muito surpreendente, pois nunca sonhei que aquela banca de flores pudesse chegar até aqui. Agora que alcançamos este patamar, a meta é sempre ir além. O mais importante é se dedicar de corpo e alma ao negócio e ser apaixonado pelo que faz. Sem isso, nenhum negócio prospera, mesmo que a ideia seja brilhante.


G&N: Outro diferencial da empresa foi expandir o leque de produtos incluindo itens para presente. Até que ponto isso contribuiu para o crescimento da empresa? As flores continuam sendo ocarro-chefe da linha de produtos?
CS: Sim, as flores continuam sendo o carro-chefe da empresa, mas foi preciso adicionar complementos para suprir as necessidades de nossos clientes.

G&N: Sua história inspirou o livro O florista da Web. Conte um pouco sobre ele.
CS: O livro conta a trajetória on-line da empresa e mostra como a venda pela internet de um produto frágil e perecível se tornou uma das referências do mercado. Com esta obra, o objetivo é contribuir com jovens empreendedores, mostrando seus erros e acertos.


G&N: A primeira loja em São Caetanoainda existe?
CS: O estabelecimento ainda existe, mas ganhou novas dimensões físicas.


G&N: O que é oferecido hoje nas lojasfísicas e virtual?
CS: Pela loja virtual e física as pessoas podem comprar flores e presentes, inclusive os que são desenvolvidos para datas comemorativas.Também há kits especiais como flores com pelúcias, vinhos, chocolates e outros. No site, é possível combinar flores com uma variedade de produtos de marcas renomadas no mercado brasileiro. Além disso, também é possível ver o significado de cada flor, para facilitar na hora de presentear.

 

Raio X - Giuliana Flores

Numero de colaboradores: 120
Sede: São Caetano do Sul, São Paulo
Pontos Físicos: 4, sendo uma na rua
Monte Alegre, outra na Av. Goiás,
ambas em São Caetano, e as outras
duas na Av. Cursino e no Shopping
Eldorado, na capital paulista. 
Representatividade das vendas pela
Internet: 70% 
Segredos para passar por crises
econômicas: Persistência, análise
de processos e de investimentos
Representatividade da GF no Grupo:
GF 80% do grupo, 10% NF e 10% CM 

 

Revista Gestão & Negócios Ed. 99


COMENTE